Nossos bichinhos também merecem cuidados nesse calor

Se para nós já é difícil ter que lidar com o calor excessivo, imagine então como deve ser mais complicado para os nossos animais de estimação?

 

Por Gabriella Collodetti

Eles dependem do nosso bom senso para que estejam saudáveis e felizes e por essa razão é preciso redobrar a atenção nas épocas quentes, afinal, nossos melhores amigos merecem toda a proteção do mundo. 

Pixabay | Foto by suju

Cães e gatos não suam como nós, portanto, eles precisam encontrar outras formas para suprir a necessidade de controle de temperatura. Para os cães, o ato de ofegar faz com que o ar frio entre e resfrie o corpo. O grau de calor pode ser medido por uma questão simples: quanto mais ofegante, maior a necessidade de diminuir essa quentura. Outro mecanismo capaz de aliviar as altas temperaturas é aquela almofadinha fofa presente na pata tanto dos cães quanto dos gatos. Para ajudá-los, é importante ressaltar que o animal deve permanecer em um ambiente arejado, com sombras e água fresca. 

Outro ponto importante para ser destacado, envolve o ato de passear com o bichinho. Não é recomendável levá-lo para a rua nos horários quentes do dia, pois há grande probabilidade de que as suas patas sejam queimadas e, consequentemente, acabem doloridas e machucadas. Como já dito, as almofadas são uma forma de regular a temperatura, portanto, é necessário protegê-las de danos. O aconselhável é adaptar os passeios para os horários frescos, no início e final de tarde, e procurar andar nas sombras. 

Pixabay | Foto Free-Photos

Caso queira andar um pouco de carro para que o seu amigo consiga curtir o vento contra o pêlo, é de extrema importância lembrar que o animal não pode ficar preso dentro do veículo! Mesmo se houver brecha nos vidros, não pode deixá-lo exposto a esse superaquecimento. Seria horrível vê-lo passar mal devido uma atitude que facilmente pode ser evitada, não é mesmo? 

Hipertermia

Manifestando-se através do aumento da frequência respiratória, a hipertermia é conhecida por trazer falta de ar logo em seguida devido o seu agravamento contínuo. Esse condicionamento é extremamente perigoso, pois além de possíveis desmaios e convulsões, o animal pode apresentar sérios riscos de morte. 

 

Foto wikiHow

Os sintomas mais comuns são:

  • Dificuldade ao respirar;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Desorientação;
  • Fraqueza;
  • Convulsões;
  • Saliva grossa.

Para preveni-la, o ideal é prestar atenção onde o seu amigo está passeando para que não esteja exposto ao calor excessivo. 

Caso aconteça, o ideal é envolvê-lo com uma toalha molhada e fria para que a temperatura comece a regular. Logo em seguida, leve-o para o veterinário. Dessa maneira haverá uma avaliação do bichinho com instruções detalhadas acerca da situação. 

Importante: Não pode colocar o animal embaixo da água gelada. Essa atitude é capaz de causar um choque térmico, dificultando ainda mais a recuperação. 

 

Imagem destacada: Pixabay | Foto Gellinger

Deixe uma resposta